terça-feira, 16 de outubro de 2012

A ENTREVISTA

Queremos compartilhar com vocês alguns pontos do seminário sobre a entrevista que apresentamos na aula de Técnicas Interventivas!



  •   “A entrevista é uma forma de interação social que valoriza o uso da palavra, símbolo e signo privilegiado das relações humanas, por meio da qual os atores sociais constroem e procuram dar sentido à realidade que os cerca.” (apud. Flick, 2002; Jovechlovitch e Bauer, 2002)
  •   A entrevista deve ser considerada como um meio utilizado pelos assistentes sociais para proceder ao seu fazer profissional, que não deve finalizar-se naquele momento, porém indicar outras possibilidades de atuação.
  •   Ao longo dos anos a entrevista tem sido desqualificada por profissionais de Serviço Social que lhe dão pouca importância. Pois, tem sido utilizado como mero instrumento de rotina, mecanismo de coleta de dados desarticulada de conteúdo teórico-metodológica, além de ser encaminhada de forma individualizante descolada da realidade social do usuário.
  •   De acordo com a escolha teórico- metodológica, a entrevista terá um lugar na prática profissional, podendo ser entendida como um fim em si mesmo ou como um processo de trabalho.
  •  Há diversas formas de entrevista: estruturada, semi estruturada e não estruturada.
  •   É necessário romper com a figura de um profissional que não se envolve emocionalmente.
  •   A entrevista está sujeita a interferências, principalmente em relação a não neutralidade.
  •   O profissional de Serviço Social está em uma relação de poder desigual, pois possuem um saber diferenciado.
  • Necessário explicitar para o usuário a intencionalidade da entrevista.
  •   Para realização da entrevista é importante estar em um ambiente de empatia, tendo em vista a garantia de confiança do usuário para alcançar uma interação.
  •   O profissional deve ter bom senso para saber o melhor momento para encaminhar procedimentos de rotina.
  •   Há necessidades de cuidado para não induzir as respostas do entrevistado.
  •   Importante resgatar interação não verbal.
  •   A garantia do sigilo é um fator de grande importância.
  •   O assistente social deve estar atento ao silêncio do usuário, pois essa atitude pode ter vários significados, como “a resistência ao envolvimento naquela situação, o de reflexão sobre aquela problemática ou de incompreensão ou limite de entendimento sobre o que está sendo questionado.” (apud. MIRANDA, 1991, p.142)
  •   O que fazer para estimular a reflexão?

a.       Escutar atenciosamente o relato do usuário;
b.      Sumariar o que foi exposto por ele;
c.       Responder através de imagens.
  • È fundamental tentar responder as perguntas feitas pelo usuário ou retomá-las para que ele mesmo pense e tente responder.SILVA, J. A. P. da O papel da entrevista na prática do Serviço Social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário