Não se perca no tempo!

quarta-feira, 17 de outubro de 2012






PROJETO DE PESQUISA


1.            Problema da Pesquisa
O problema da pesquisa surgiu a partir da percepção dos trabalhadores de saúde do Centro Municipal de Saúde X que determinados usuários retornavam com muita frequência à unidade, apresentando sempre os mesmos quadros patológicos.
 Assim, durante as reuniões da equipe interdisciplinar (que ocorre quinzenalmente), o corpo profissional examinou alguns prontuários e verificou que muitos usuários do serviço eram catadores de lixo da Orla de Copacabana.
A equipe, então, decidiu elaborar uma pesquisa a partir do seguinte questionamento: Como a atividade de catação de resíduos sólidos influencia no processo saúde-doença desse segmento da população e quais são as possíveis ações que auxiliariam na melhora nas condições de vida desse trabalhador?


2.            Base teórica
Segundo Netto (2007, 49), as mudanças que ocorreram no padrão de acumulação capitalista a partir da década de 1970, refletiram-se na América Latina por volta dos anos de 1980 com a influência dos planos de ajustes neoliberais, cuja proposta era realizar reformas estruturais liberalizantes e políticas macroeconômicas nos países latino-americanos. O autor classifica essa nova fase do capitalismo contemporâneo como regressiva, pois as transformações econômicas proporcionadas por esse novo estágio provocam cortes e deteriorização de direitos adquiridos historicamente. Observa-se, então, uma crescente demanda por direitos sociais enquanto há uma forte redução dos mesmos por parte do Estado.
Soares (2009) também faz significativos apontamentos a respeito das mudanças do processo de acumulação capitalista e suas consequências negativas para o conjunto de direitos sociais.
A autora alerta para o perigo de perdas extremamente importantes para o campo das políticas de proteção social, bem como para o agravo de problemas já existentes nos países latino-americanos, a saber, o desemprego, piora na infraestrutura, o retorno de endemias e doenças consideradas controladas.
Ademais, expõe que houve um crescimento do consumo entre o segmento mais abastado da população, todavia entre a parte mais pauperizada ocorreu uma drástica queda do consumo de bens e serviços.
Logo, a autora (2009, 51) constata que ampliou-se a diferença no acesso aos bens e serviços referentes à satisfação de necessidades básicas como a habitação e a saúde.
Outro fator apresentado por Soares (2009, 49) é o aumento dos estrados daqueles qualificados como “extremamente pobres”- indivíduos que possuem uma renda familiar insuficiente para comprar uma cesta básica de alimentos.
O mundo do trabalho não permaneceu à parte de todo o processo de regressão provocado pelo capitalismo contemporâneo, portanto verifica-se mudanças profundas nas relações trabalhistas, como por exemplo, a precarização dos postos de trabalho, as reformas na legislação trabalhista, a elevação do desemprego. A autora (2009, 56) aponta que houve um forte crescimento do subemprego- “definido como aquele trabalho com remuneração inferior ao valor mínimo estabelecido em cada país”.
A partir do exposto acima,

 (...) torna-se relevante avaliar (...) as condições de acessibilidade dos pobres aos serviços básicos de suprimento de água, esgoto sanitário, coleta de lixo, saúde e educação. Esses itens possuem forte peso no orçamento não monetário das famílias, sendo, dessa forma, relevantes para fins de complementação da renda real dos pobres. (SOARES, 2010, p:59)

E entendendo que

 A saúde tem como fatores determinantes e condicionantes, entre outros, a alimentação, a moradia, o saneamento básico, trabalho, renda, a educação, transporte, lazer, acesso aos bens e serviços essenciais, os níveis de saúde da população expressam a organização social e econômica do país. (LEI ORGÂNICA DA SAÚDE, 1990, art. 3º)

É fundamental estabelecer articulações teóricas que possibilitam o entendimento entre a privação material vivenciada pelos catadores de lixo com a condição de bem-estar, no sentido amplo de saúde concebido pela LOS, para a eficácia da oferta dos serviços de saúde.


3.    Hipótese
      A atividade de catação de lixo, que se constitui como a única forma de labor dos catadores da Orla de Copacabana, portanto, a única fonte de renda desse segmento da população, juntamente com o não acesso à diversas políticas sociais (saneamento básico, habitação, alimentação, trabalho, etc.) dificulta tanto o processo de tratamento da doença quanto a manutenção de um quadro de saúde positivo.


4.            Justificativa
A efetivação dessa pesquisa para os trabalhadores de saúde do Centro Municipal de Saúde X é de grande relevância para a melhoria do atendimento, pois aproximadamente 55% das demandas recebidas por essa unidade são originárias dos catadores de lixo da Orla de Copacabana.
Analisando a visão da saúde como um processo social, é fundamental entender os múltiplos fatores que incidem sobre a vida desses usuários e que interferem fortemente na relação saúde/doença destes.
Assim, considerando que a doença não se trata apenas de um fenômeno biológico individual, as condições degradantes de vida as quais estão submetidos os trabalhadores que sobrevivem da retirada de materiais do lixo, configurando uma expressão da “questão social”, devem ser investigadas para melhoria das condições de saúde dos usuários que freqüentemente retornam ao Centro Municipal de Saúde com os mesmos sintomas.
Dessa forma, pretende-se romper com a dicotomia existente entre saúde e doença, levando em questão a interferência do social, visto que a maneira pela qual o indivíduo está inserido nas relações sociais de produção é um fator determinante para análise do processo saúde/doença.
Assim, dentro da sociedade determinado grupo, no caso os catadores, apresentam condições específicas de saúde que os distingue dos demais.



5.            Objetivos


Objetivo Geral:
            Compreender a relação existente entre o trabalho precarizado do catador de resíduos sólidos na Orla de Copacabana e a influência dessa atividade nas condições de saúde dos usuários que utilizam os serviços do Centro Municipal de Saúde X.

Objetivos específicos:
a.    Identificar e estudar as maiores dificuldades vivenciadas pelos catadores de lixo na continuidade do tratamento de saúde.
b.    Avaliar quais são as ações preventivas mais eficazes para os devidos cuidados com a saúde.
c.    Compreender o processo de trabalho como um determinante na eficácia do tratamento.
d.    Elaborar propostas articuladas com outros serviços públicos, como por exemplo, a assistência social, que viabilizem melhoras nas condições de vida dos catadores.
 
6.            Metodologia


O presente projeto de pesquisa será realizado no bairro de Copacabana, localizado no estado do Rio de Janeiro com uma área de 5 km² e uma população de 161.191 habitantes.
Entretanto, a população alvo será os catadores de lixo que desenvolvem suas atividades na orla da praia de Copacabana, frequentantes do Centro de Saúde X.
O levantamento bibliográfico será realizado em fontes como artigos de periódicos, livros e Internet.
A pesquisa será baseada na coleta de dados junto a estes trabalhadores através de entrevistas qualitativas semi-estruturadas. Serão entrevistas aproximadamente 50 catadores homens e mulheres.
O tempo estimado para execução da pesquisa é de nove meses, do
período compreendido de novembro de 2012 à agosto de 20

Ações/etapas
Período de execução

Novembro (2012)
Dezembro (2012)
Janeiro
(2013)
Fevereiro
(2013)
Março
(2013)
Abril
(2013)
Maio
(2013)
Junho
(2013)
Julho
(2013)
Levantamento bibliográfico
  X
X
X






Elaboração do projeto de pesquisa


X
X





Realização de entrevistas




X
X



Organização e tabulação dos dados




X
X
X


Análise dos dados





X
X


Elaboração de relatórios






X
X

Revisão do texto







X

Apresentação dos resultados








X






REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

·         BRASIL, Lei Orgânica da Saúde (8.080), 1990 Acessada em: http://pt.scribd.com/doc/79485115/9/Lei-Organica-da-Saude-LOS-Lei-n%C2%BA-8-080-1990

·         LAURELL, A. C. A Saúde-doença como processo social. Revista Latinoamericana de Salud. México: 2:7-25, 1992.

·         NETTO, J. P. “Desigualdade, pobreza e Serviço Social”. In: Revista Em Pauta: teoria social e realidade contemporânea. Faculdade de Serviço Social /UERJ, nº 19, 2007.

·         SOARES, L. T. O impacto do ajuste sobre a desigualdade social e a pobreza: o agravamento de velhos problemas e o surgimento de novas exclusões. In: Os custos sociais do ajuste neoliberal na América Latina. 3º ed. São Paulo, Cortez, 2009.








Nenhum comentário:

Postar um comentário